Sonho Ruim

Eu tive um sonho ruim. A mamãe chama de pesadelo, mas eu sei que pesadelos são os cavalos que o papai vende para as pessoas da cidade e para os moços que usam aquelas roupas de metal. Foi estranho ter um sonho ruim porque tinha um bicho grandão com olhos que não pareciam olhos de uma pessoa nem de nenhum animalzinho que eu já vi. Tinham umas pessoas lá também, mas o que me chamou atenção foi a moça conversando com ele. Acho melhor eu rabiscar tudo.

Todos os dias, depois das aulas que eu tenho com o Alfredo, eu fico brincando com as minhas coisas. De vez em quando eu brinco com as minhas bonecas, outras vezes eu gosto de correr pela fazenda, mas agora que a Tia Nyx me disse que tem lugares escondidos aqui em casa, eu sei que posso aprender a ser esperta igual a ela. Nada de ruim vai acontecer comigo enquanto eu tiver a carta da Noora e o bonequinho de madeira que ela me deu. Hoje foi um dia tranquilo e eu estava indo dormir quando eu ouvi vozes diferentes das que ouço quando fico com muito sono.

Eu ouvi algumas pessoas falando e cantando. Todas elas eram diferentes de mim. Não tinham chifres, não entendiam as coisas que eu falava, mas elas pareciam estar felizes. Eu ouvi uma delas dizer que estava esperançosa, mas eu ainda não sei o que isso significa. Então eu continuei caminhando por aquele lugar e minhas roupas começaram a mudar. É normal que eu use vestidos porque a mamãe acha bonito, só que minhas roupas ficaram parecidas com as roupas que minha Tia Nyx usa.

Meu vestido começou a se dividir em dois. Eu estava usando uma blusa de seda, meu cabelo ficou curto igual ao da Tia Nyx. Minhas calças eram feitas de um tecido grosso e minhas botas de couro pareciam as da mamãe. Eu estava grandona igual à Tia Nyx no meio daquela gente toda que estavam animadas. Tentei chegar mais perto para ver o que estava acontecendo e foi então que Ivy apareceu.

A armadura dela era preta como uma noite sem lua. Seus cabelos não eram mais loiros como costumavam ser e o jeito bravo dela colocava ainda mais medo nas pessoas. Quando ela caminhava entre aquele povo que não entendia o que eu falava, eles perdiam a felicidade que tinham. Ao lado dela estava a menina de cabelos laranja que pegavam, só que mais velha e com uma armadura viva ao lado dela. Eu reconheci o manto da Noora e chegue perto. Ela estava muito triste e eu perguntei o motivo, mas ela não conseguia falar direito. Quando eu a toquei eu vi o que estava acontecendo de verdade.

Ivy estava em um tipo de caverna muito escura, coberta com diversas runas e vestida com a armadura preta. Seu cabelo loiro ainda estava se tornando preto e as pontas do cabelo ficaram um pouco estranhas como se viessem de outro lugar. Aos poucos ela começou a ficar com os cabelos pretos por inteiro, a armadura ficou coberta de runas em um idioma antigo e depois disso tudo ficou escuro. Um cristal verde começou a brilhar na altura do pescoço da Ivy. Ela abriu as asas que eram feitas de sombras e um par de olhos malvados apareceram atrás dela. Aí eu acordei assustada.

Fiquei um tempo quietinha no meu quarto tentando entender o que tinha acontecido, mas no começo as coisas ainda estavam confusas. Eu não sabia o que era real ou não. Então uma das pessoas do meu sonho apareceu. Era uma moça baixinha e que tinha os cabelos parecidos com a neve. Ela se abaixou para falar comigo e começou a falar comigo do jeito esquisito que eu ouvi no sonho, mas ela não falou nada que eu consegui entender. Então ela repetiu tudo.

– Glória, meu nome é Deva. Eu sou de um lugar que fica bem longe daqui. Eu preciso que você dê um recado para alguém que você confia de verdade.

– Tá bom! Você é bonita. Os desenhos no seu rosto são muito legais. Você era uma das pessoas do meu sonho?

– Sim, Glória. Eu vivo naquela cidade e o que você viu é algo que a gente pode evitar. Então, o recado que você precisa entregar…

Ela me disse o que era pra eu falar e quando eu esfreguei os olhos ela sumiu. Aí eu fui falar com a Tia Nyx.

Eu cheguei no quarto dela. Eu bati na porta do quarto e rapidinho ela apareceu com o pijama dela. Eu falei que tive um sonho ruim e comecei a apontar para um caderno para eu poder desenhar o meu sonho: uma mulher com um colar com pedra verde, asas pretas e assustadoras e o par de olhos de um bicho grandão. A Tia Nyx falou com o papai e depois ele trouxe um saco de dormir. Eles falaram baixinho igual a mamãe quando faz o que ela chama de fofoca. Depois a Tia Nyx me colocou para dormir.

Mais tarde eu senti meu corpo ficar quente e do nada eu não era mais eu, só que eu ainda era eu falando dentro de mim. Então eu acho que nessa hora eu dei o recado que a moça bonita cheia dos desenhos na cara me pediu.

– Nós precisamos retornar e precisamos que a garota dos cabelos incandescentes nos ajude.

Depois disso eu lembro de ter voltado a dormir no meu corpo de novo. Foi um sonho muito estranho, mas o desenho ficou bem bonito. Eu espero que um dia eu não tenha que desenhar as coisas para falar para as pessoas e quero que as vozes sumam da minha cabeça. É chato ter que ficar ouvindo pessoas falando sobre pecados de um lado e outras pessoas falando de voltar para sua cidade perdida de outro, sabe? É muito chato. Agora eu tenho uma pergunta: será que a Tia Nyx me arruma uma roupa igual a dela?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: