Escolhas difíceis: Como lidar com ações vilanescas no RPG

Os vilões de um cenário de RPG causam grandes mudanças tanto nas vidas dos aventureiros quanto nas vidas dos habitantes do mundo fantástico. Alguns querem a dominação mundial, outros querem apenas ter influência no submundo e alguns apenas fazem o que fazem porque são bons nisso. De uma forma ou de outra, o impacto de um vilão em um cenário de RPG não pode ser ignorado assim como qualquer ação vilanesca realizada por um jogador durante a sessão.

É comum que aventureiros tenham que quebrar algumas leis para saírem vivos de algumas situações. Ainda mais comum é encontrar um vilão motivado por uma causa e que luta por ela usando meios destrutivos para chegar onde deseja. De uma maneira ou de outra, ações geram consequências e é preciso lidar com cada uma delas. Pensando nisso, eu listei cinco dicas para te ajudar a encarar essas situações de jogo. Sem mais delongas, vamos nessa que vai ser bom à beça.

Cenas introdutórias

Após um arco de aventuras, os personagens podem seguir seus próprios caminhos e lidar com as coisas que fez e aprenderam durante toda a aventura. Cada encerramento de personagem em um arco é o suficiente para criar ganchos para aventuras futuras e desenvolver novos objetivos para que os jogadores continuem se divertindo. Isso deve ser feito também para vilões se ao menos um deles sair com vida do encontro com os jogadores. Um evento assim pode garantir um retorno triunfal.

Quando um vilão sair vivo após o final de um arco de aventuras, é necessário que ele possua um encerramento de modo que ele encare as consequências de seus próprios atos. A ação mais comum é o grupo levar a criatura maligna para a cidade mais próxima para que as autoridades locais tomem as devidas providências de modo que sejam aplicadas as devidas punições.

Aplicação de leis locais

Suponhamos que depois de uma aventura o grupo decide que, no último golpe, o dano não será letal e isso deixa o inimigo inconsciente. Após imobilizado e consciente o bastante para falar, o grupo faz o clássico interrogatório para saber mais sobre o que ele deseja fazer e o que levou até o ponto no qual ele havia chego. Em seguida, o grupo leva o vilão para a guarda da capital mais próxima. Depois de narrar o encerramento de cada personagem dos jogadores, narre uma cena sobre o que está acontecendo com o vilão.

Uma descrição do local onde o vilão ficará preso. Uma cena de fuga porque ele conseguiu fazer algo que lhe deu vantagem sobre os guardas ou porque ele possuía algum aliado infiltrado dentro da guarda que lhe garantiu uma fuga tranquila. De certa forma, caso o plano original falhe, um bom vilão sempre terá um novo plano para alcançar seus objetivos nefastos.

Plano B

Você como narrador ou como jogador, precisa ter em mente a estratégia que o seu personagem utilizará para conquistar seu objetivo. No caso do narrador é preciso lidar com o impacto de todas as ações e pensar em consequências para qualquer plano que os jogadores traçarem. Já os jogadores precisam lidar com cada uma das coisas que fizerem e pensarem no que vão fazer antes de tomarem qualquer decisão sobre qual abordagem adotar. Todo mundo precisa de um plano reserva.

Um personagem com um plano B é capaz de mudar o rumo de uma campanha de RPG sem muita dificuldade. Um narrador deve ser mais de uma solução para resolver os problemas do mundo ainda que os jogadores não sigam alguns dos caminhos planejados. Agora, se tratando de um vilão com um plano sombrio, se ele for convencido de que o caminho que tomou não o levaria a lugar algum, é provável que ele se torne um aliado.

Arco de redenção

Se um dos seus vilões acabar se arrependendo do caminho que estava trilhando, é possível que ele possa seguir um caminho ao lado de cada um dos jogadores que o aceitarem como um membro do grupo ainda que a confiança deva ser reconquistada por meio de ações e não de palavras. Nem todo vilão é mau porque quer ser mau. Alguns seguem o caminho errado apenas porque não conhecem outro meio de resolver as coisas. Heroísmo e vilania, como eu sempre digo, não passam de dois pontos de vista e, em alguns casos, uma segunda chance deve ser dada.

Um arco de redenção para um NPC não pode acontecer simplesmente por vontade do narrador se não houver indícios de que o personagem deseja se redimir e encarar a pena dada para os seus crimes. Caso o vilão não se arrependa, ele pode ser preso e, dependendo das leis da região, pode ser executado. No entanto, caso ele queira continuar lutando pelo que acredita, mas utilizando meios aceitáveis, é possível que ele faça o que for necessário.

Sacrifício pela causa

Quando um dos antagonistas do cenário se une ao grupo por algum motivo, ele deverá provar para todos que ele está seguindo o caminho dele da melhor forma possível. Suponhamos que o vilão seja alguém que conhece como a organização da qual fazia parte funciona e saiba onde as células dela estão além de conhecer as defesas de cada uma das bases que ele visitou. Isso pode garantir um arco de redenção e aventuras de invasão que podem render bons desafios.

Durante isso, sendo tratado como um traidor ou dano colateral, um personagem vilão pode simplesmente deixar a luta que ele tanto defendia nas mãos dos heróis que o ajudaram a entender pelo que realmente vale a pena lutar. Um vilão que sofre uma morte heroica pode ser um grande clichê, mas se for bem utilizado, pode tornar sua história memorável para todos.

Quando se trata de vilões e ações vilanescas, é preciso compreender que o mundo é um lugar que precisa seguir em frente independente do que aconteça. Isso garante possibilidades de novas aventuras por meio de consequências de jogos antigos. O mal necessário pode abrir vagas para muitas mesas de RPG.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: