A Trilha de Grokhan

Caminhando pelo deserto há uma caravana com pessoas que acabaram de se recuperar de um trauma. Elas eram cativas de um grupo de mercenários que as venderiam como escravas em Barbor, uma cidade que fica no coração do deserto e famosa por causa de suas organizações criminosas de assassinos mercenários. Não havia esperança até que um grupo de heróis chegou ao acampamento e dizimou os mercenários sem que eles pudessem reagir. Um massacre vindo do céu. Entre os prisioneiros estava Grokhan, um meio-orc que já esteve em uma situação parecida quando era jovem.

Grokhan foi fruto do relacionamento de um orc saqueador com uma elfa que se refugiava nas Ruínas de Khandra, uma das muitas cidades destruídas durante a Guerra das Feras. Ela estava foragida de Ael’Fellor por ter roubado um dos Tomos de Norian, a Primeira Arquimaga. Este tomo, por sua vez, contém o conhecimento que muitos sábios consideram como lendas de povos do passado sobre a origem deste pequeno universo. A elfa de nome Araleth procurou durante a guerra alguém que pudesse lhe ajudar e ouviu falar sobre o Vingador do Eclipse.

O Vingador do Eclipse era um paladino que devotava sua vida a conhecer os mistérios do mundo além de proteger locais que guardavam conhecimentos ancestrais. Araleth estava próxima das Ruínas de Khandra, quando foi interceptada por uma caravana de mercenários que tentaram levá-la como cativa. Sem pensar duas vezes, Araleth começou a fugir de todos aqueles orcs que estavam consumidos pelo frenesi tribal. Foi então que Tanduk, o Sanguinário, apareceu.

Um orc de quase três metros de altura que não carregava armas em suas mãos. Sua pele esverdeada sem cicatrizes de batalha estava coberta por um manto amarelado. Ele vestia uma calça de couro batido e um par de botas que ajudavam sua locomoção pelo deserto. Ao perceber a caravana se aproximando da elfa, Tanduk começou a correr. A cada passo, sua pele adquiria uma coloração avermelhada e uma aura de sangue começou a emanar de seus olhos. O orc saltou e pouco antes de cair, Araleth viu um machado de guerra escarlate se formando nas mãos do homem que, em poucos segundos, eliminou todos os orcs com cortes, socos e pontapés.

A elfa, ainda assustada, temeu por sua vida no momento em que seu salvador, ainda em postura ameaçadora e com a pele avermelhada se aproximou dela e estendeu a mão para ajudá-la a se levantar. Eles se apresentaram e continuaram caminhando para as Ruínas de Khandra como era o plano original da foragida das terras feéricas. A convivência de ambos se transformou em um relacionamento intenso ao ponto de ambos estabelecerem uma residência na cidade. Mesmo em tempos de guerra, Tanduk e Araleth viveram felizes e deste amor nasceu Grokhan que, desde criança foi instruído a ser o melhor de dois mundos.

Tanduk ensinou ao seu filho como sobreviver aos perigos do Deserto Aracnorrubro. Araleth, ensinou os conhecimentos centenários dos seres feéricos das Florestas das Bestas. Quando as Ruínas de Khandra foram atacadas novamente, Grokhan fugiu sob as ordens de Tanduk sem olhar para trás. A caravana de mercenários que tentou raptar Araleth antes do nascimento de Grokhan reconheceu os traços do jovem meio-orc que foi preso e viveu anos de sua vida como um escravo.

Quando atingiu a maioridade e já marcado no pescoço como um sem tribo pelos mercenários, Grokhan viu o tomo que sua mãe usou para ensiná-lo sobre o mundo e tentou alcançá-lo na calada da noite. Lendo as escrituras do tomo, ele descobriu o que fazia dele e de seu pai o que eles eram: O Espectro Sanguinário de Zatur.

Chocado com a descoberta, Grokhan então guardou o tomo consigo e decidiu fugir em busca do homem que sua mãe procurou durante toda a sua vida. Os mercenários tentaram impedi-lo. Naquela noite o Espectro Sanguinário se manifestou no meio-orc que se rendeu ao poder que vinha de dentro dele. A aura avermelhada tomou sua pele e, por um instante, ele sentiu a presença de seu pai guiando seu caminho para a rota de fuga enquanto um massacre acontecia contra os mercenários escravagistas. Quando a aura desapareceu e o frenesi de combate diminuiu, Grokhan decidiu lutar em nome da liberdade dos cativos.

Agora, caminhando com o grupo de pessoas salvos pelos aliados de Mikkel, o homem que estava em busca de restaurar sua família para retornar ao Arquipélago do Ocaso, Grokhan segue em direção de sua cidade natal, as Ruínas de Khandra. A tempestade de areia característica da região permanecia idêntica ao dia no qual ele teve que abandonar sua casa. Usando do conhecimento de seu pai, ele auxiliou as pessoas que estavam o seguindo a atravessarem as areias tempestuosas. Finalmente, Grokhan retornou ao seu lar que se encontrava abandonado. Então ele olhou para todos e começou a carregar pedras.

Em poucos dias, algumas barracas improvisadas para que as pessoas pudessem dormir e alguns troncos de madeira para treinar aqueles que gostariam de proteger seu novo refúgio estavam espalhados pelas ruínas. Grokhan, caminha pelo local habitado pelo povo que o considera um herói e vai até o antigo local onde seus pais e ele viviam. Lá ele viu seus antigos brinquedos e marcas de combate que revelavam que Araleth e Tanduk deram suas vidas para que ele pudesse sobreviver. O meio-orc chorou inconsolavelmente até adormecer naquele local que lhe trazia alívio de uma maneira estranhamente melancólica.

Durante seu sono, Grokhan acorda com uma sensação estranha. O seu sangue ferve como jamais sentira anteriormente. Ao fechar seus olhos ele vê um homem lutando contra ele e arremessando-o no chão enquanto tenta perfurá-lo com um montante. Ao abrir os olhos ele está no refúgio e não em combate. Sem pensar duas vezes, ele começa a sair de onde está, mas não antes de pegar o que sobrou do manto de seu pai para ir até onde ele acredita que o conflito está acontecendo.

Grokhan, ao longe, avista em uma colina algo assustador: a Ceifadora do Vazio digladiando contra o Filho do Inferno.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: