Uma questão de ponto de vista

Nós somos os heróis de nossas histórias. Nós também somos os vilões nas histórias de alguém. Seja qual for o lado que você esteja ou quaisquer que sejam as suas escolhas, eu tenho a convicção de que ninguém pode te julgar pelo que você é, faz ou pensa. Há um motivo para você estar como está hoje e se isso é bom ou ruim, não passa do ponto de vista de alguém que formou uma opinião sobre o seu estado atual. Como tudo tem seu ponto fora da curva e suas exceções, eu tenho algumas coisas a dizer sobre pontos de vista.

Quando se trata de ficção, é aceitável que as pessoas simpatizem com vilões e que se apeguem a alguns desses personagens. É normal sentir empatia por seres que sabemos que não existem em nossa realidade porque começamos, em algum grau, a observar nossas atitudes no dia a dia e também passamos a ter uma noção ampla de como as pessoas nos enxergam. É claro que levar tudo o que falam sobre você em consideração não é algo saudável, mas preste atenção a algumas coisas simples do dia a dia: como é que os seus amigos te veem?

Você é o tipo de pessoa que inspira quem está ao seu redor ou é aquela que só aparece na vida de alguém quando precisa de alguma coisa? As pessoas gostam de você ou elas simplesmente aturam o seu jeito de ser? Eu tenho certeza de que essas perguntas passam na cabeça de alguém pelo menos uma vez na vida e eu sinto que isso não passa de opiniões. Pessoas podem pensar e dizer o que quiserem sobre você, assim como você pode fazer o mesmo em relação a elas. O que me leva a mais uma pergunta: o que é que você acha sobre si mesmo?

Acho que eu já escrevi que eu não sigo religião alguma, mas que eu pratico meditação diariamente. Algumas pessoas dizem que é difícil, outras perguntam como eu consigo fazer isso e algumas simplesmente acham que é coisa de louco. Isso é apenas um reflexo do que elas acreditam, do que elas pensam e do que elas consideram saudável. Elas podem me julgar e questionar tudo o que eu faço. Eu posso sim ser o louco das histórias delas, mas isso significa que, em algum nível, eu faço parte da vida delas de um jeito ou de outro.

Agora, voltando ao ponto de sermos os heróis das nossas histórias, você tem coragem de contar as vezes que quebrou a cara ou só conta as histórias nas quais você saiu por cima? Seja qual foi a sua resposta, eu vou dar o meu ponto de vista sobre ambos os casos. Caso você só conte vantagem, você é, na minha opinião, uma pessoa arrogante, prepotente e que precisa urgentemente fazer um pouco de terapia para murchar seu ego inflado. Se você apenas se menospreza e faz piadas de autodepreciação, pode ser um bom gatilho para humor, mas é melhor que você conte coisas boas sobre você e histórias felizes. Nem tudo na vida é uma tempestade constante.

Por outro lado, mesmo que você equilibre as coisas no sentido de fazer o que acha certo e falar abertamente sobre as coisas que acontecem na sua vida assim como eu faço no dia a dia, eu recomendo fortemente que você pare e preste atenção em como as pessoas reagem a tudo o que você expressa. Algumas podem demonstrar interesse em você enquanto que outas apenas vão torcer o nariz enquanto julgam o que você faz ou deixa de fazer. No final das contas, o que vai importar é como a sua história encontrará um desfecho.

Na sua história você não precisa ser necessariamente um herói ou um vilão. Você é apenas uma pessoa que faz escolhas e lida com as consequências daquilo que acabou de fazer. Não é uma coisa muito complicada nem mesmo uma tarefa difícil porque você precisa tomar decisões, por menores que sejam, o dia todo. Isso é o que vai moldar seu presente e preparar o seu futuro de acordo com o que você está plantando hoje. Independente do que qualquer pessoa diga, a única coisa que realmente importa é como você lida com a sua história e isso nos leva ao último ponto sobre heroísmo e vilania em nosso dia a dia.

Por mais que sejamos os heróis de nossas histórias na maioria das vezes, é necessário que façamos algumas escolhas no dia a dia para que não cometamos os erros que aconteceram no passado da humanidade. Eu realmente não quero que a comunidade que me acompanha seja tóxica com as pessoas, que defendam regimes totalitaristas ou que não levem a ciência a sério. Existem coisas no mundo que não podem ser toleradas e, neste caso, pouco importa se você é uma pessoa boa ou ruim, qualquer ato hediondo é inaceitável na minha concepção.

Uma vez tendo falado um pouco sobre pontos de vista, heroísmo e vilania e sobre como você se vê diante das pessoas que vivem ao seu redor, eu sinto que em tempos como os que estamos vivendo, é importante que tenhamos consciência do que consideramos certo e errado. É necessário que tenhamos senso crítico para que saibamos o que é melhor, não apenas para nós individualmente, mas também para todas as pessoas que estejam direta ou indiretamente ligadas com a nossa vida.

Eu espero, do fundo do coração, que você seja não apenas um herói na sua história de vida, mas também seja alguém que faça o que for necessário para melhorar um pouco a vida das pessoas que estiverem a sua volta. Seja um herói para a criança que você foi um dia e se questione se ela gostaria de ser quem você é hoje. Se a resposta for sim, você claramente está no caminho de ser não apenas um herói no seu mundo, como também deixará um legado lendário que será seguido por quem te admira e ama.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: