Amor e influências do cotidiano

As pessoas buscam amor e julgam aqueles que demonstram o que realmente sentem. Já parou para pensar que aqueles que dizem que sentimentos nos tornam fracos são pessoas que sofreram por não terem algum sentimento correspondido? Talvez essas pessoas não entendam o que realmente significa amar uma pessoa e que existem formas diferentes de amor.

A prova principal disso é que ninguém ama uma amiga, uma mãe e uma esposa da mesma maneira. “Ah, Bruno, eu amo todo mundo da mesma forma!”, você pode pensar. Eu sei que não é assim, você sabe que não é assim e nós sabemos que nunca será desse jeito porque não se ama duas pessoas da mesma forma, mas é possível sentir a mesma coisa por pessoas diferentes.

Suponhamos que você tenha um grupo de amigos. Você conversa com todos eles, você se sente seguro e querido pelo grupo, as pessoas te acolhem da melhor forma possível e tudo dentro do seu grupo funciona em perfeita harmonia. Eis que você passa por um problema grave ou precisa desabafar com alguém. Aposto que veio um nome na sua cabeça agora e certamente é o nome do amigo ou amiga que está sempre contigo. Não faz diferença a quantidade de amigos que você tem na vida porque, no fim das contas, o que importa é a qualidade das suas amizades e das pessoas que convivem contigo. Muitas pessoas dizem que não são influenciadas por nada, mas todo mundo influencia e é influenciado o tempo todo.

Digamos que você vive com os seus pais e você sabe como é o relacionamento deles. Você entende a dinâmica da sua família, sabe o que é bom, o que é ruim e tenta seguir os bons exemplos de um relacionamento que, para você, é saudável e confortável de se manter. É óbvio que cada pessoa tem suas expectativas, gostos, interesses e sentem-se atraídas por características físicas e traços de personalidade, atitudes e afins. O relacionamento dos seus pais é uma influência, positiva ou negativa, de como você enxerga relacionamentos em geral assim como a relação de qualquer casal que você conhece ou convive.

A forma que você enxerga o romance de algumas pessoas pode te fazer querer ter uma relação que tenham as características boas que você admira. Por outro lado, ao ver algo que lhe desagrada, é provável que vai tentar evitar de todas as formas passar ou presenciar situações que lhe geram desconforto. “Tá bom, Bruno, mas o que isso tudo tem a ver com amor?”, você me pergunta. A resposta é simples: o amor está nos detalhes.

Nenhum clichê deixa de ser verdade apenas por ser um clichê. Quando você já tem intimidade com uma pessoa e os dois se sentem confortáveis, é normal se preocupar com detalhes que normalmente pareceriam bobos e que, com o passar do tempo, tornam-se relevantes e começam a fazer parte de uma rotina de cuidados diários. Isso não é só para relacionamentos amorosos, mas também para amizades duradouras.

Acho que alguns amigos meus acham que quando eu pergunto se eles estão bem é simplesmente por educação ou cortesia, mas é sempre para saber se eu posso ajudar em alguma coisa. Nem que seja apenas para ouvir ou ficarmos em silêncio, eu me importo em demonstrar que estou presente quando sinto que a pessoa também se importa comigo. Essa é apenas uma das muitas formas de se demonstrar amor.

Cozinhar algo que a pessoa gosta de comer, dar um presente fora de uma data especial, conversar sobre algo que é do interesse da pessoa com a qual você se importa, passar algumas horas com a pessoa para matar a saudade da companhia, perguntar se a pessoa já comeu, se chegou bem em casa, se tem dormido direito. Parece algo muito besta tanto quanto pegar um copo de água quando a pessoa pede, mas isso tudo, por mais simplório que pareça ser, é uma grande demonstração de afeto que só as pessoas que sabem o valor dessas minúcias serão capazes de demonstrar sem medo. E sabe quais seres são responsáveis por demonstrar esses detalhes mesmo quando você se torna um adulto? Exatamente: nossas mães.

Sua mãe, não em todos os casos, mas na maioria deles, será sua base para tudo e seu porto seguro em momentos nos quais ninguém mais poderá te ajudar. Ela claramente já sentiu o que você sente, já passou por algo pelo qual está passando e no fim das contas sempre estará disposta a te ouvir. Se você tem uma mãe que se importa em saber como você está, cuida para que você se sinta bem e respeita suas escolhas ainda que ela não concorde com o que você faz, ela te ensinou e entendeu o que significa amar. Talvez seja isso o significado de força: amar as pessoas, amar a vida e amar o que você gosta de fazer.

Independente de ser sua mãe, pai, amigo, amiga, namorado, namorada, chefe ou até mesmo seu cachorro, uma pessoa que te ama, vai respeitar o que você faz ainda que não compactue com suas ideias e desde que não seja algo prejudicial, vai se preocupar com coisas que vão parecer bobas em um primeiro momento e isso tudo vai te fazer se sentir bem de uma forma que será difícil colocar em palavras. Acho que, no final das contas, tudo se resume a amar com sinceridades sua vida em geral.

Eu creio que o Dia Internacional da Mulher, além de tudo o que representa, deveria ser um dia para se demonstrar amor a elas que lutam todos os dias para alcançar tudo o que querem na vida. Desejo que você dê valor diariamente às mulheres de sua vida independentemente da relação que você tem com cada uma delas e também às pessoas que realmente cuidam de você porque, se tratando de amor, afeto, carinho e cuidado, saber demonstrar isso tudo pode ser o gatilho que vai manter um relacionamento saudável além de mostrar que você entendeu o sentido da vida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑