A cidade que nunca dorme

Ela nunca dorme. Ah, você sabe como é! Passos rápidos, transito infernal, engravatados com pressa enquanto que na favela tá geral fazendo os corre pra conseguir sobreviver ao que muita gente costuma dizer que é uma selva de pedra. Na boa, eu fico me perguntando como é que ela não dorme e de vez em quando acho que entendo bem o motivo de tanto caos. Sendo bem sincero contigo, meu bom, eu até acho divertido ver isso tudo de longe. Tudo o que eu faço da vida é levar as pessoas de um lugar pra outro e isso me rende uma boa grana, boas histórias e faz de mim um guia turístico de baixo custo. Bem massa, né não? Bora, cola comigo!

Aqui a gente tem um monte de prédios e as coisas funcionam de um jeito apressado. Empresários compram ações de outras empresas pra conseguirem manter seus negócios vivos e pra manter seus nomes relevantes no meio dos ricaços. Seria interessante manter um jatinho e ter um carrão? Seria, mas eu gosto da vida mais simples. Desculpa perder o foco, mas vamos continuar. Nessas empresas que eu falei, tem as pessoas que trabalham de verdade e fazem o que for preciso para manter a vida delas da melhor forma que conseguem e muitas delas têm filhos. Os jovens, filhos desses trabalhadores, estão dividindo o tempo deles entre estudos, festas e correndo atrás de algum estágio porque isso conta créditos na faculdade na qual as crianças sonham em entrar pra se livrar dos pais que dependem do salário pago pelos donos das grandes empresas. É o ciclo de vida dos poderosos, mas há vida em outros lugares também. É, cara… tem gente que acha que só os milionários têm uma vida feliz e tudo mais. Eu discordo. Vou te levar pra outro canto. Partiu?

Maneiro! Chegamos na parte onde muitos encontram uma forma de relaxar sem muitos julgamentos. Tem tudo pra todo mundo aqui e isso é o que deixa as coisas interessantes. Olha ali no canto a galera com skate enquanto outros fazem batalhas de rima e de dança. Do outro lado tem os brinquedos pras crianças correrem enquanto as mães fofocam sobre aquele cara saradão fazendo barra. Viu? Como é que ela vai dormir se ninguém mais dorme? É quase como uma mãe superprotetora, mas sei lá, minha velha se foi tem um bom tempo. Tá, isso não importa agora. Consegue ver naquele banco o casal sentado trocando carícias? Tudo pode acontecer com eles agora e eu espero que nenhum deles tenha comido pimenta, cebola ou alho porque senão a onda do romance vai levar caldo. As pessoas por aqui tentam relaxar depois de dias difíceis… Quer um lanche? Vou ali comprar um pra mim e já volto pra te mostrar outro canto que pode te interessar. Fica tranquilo porque eu te garanto que não vai demorar pra tu chegar onde quer. Confia, eu tô te fazendo um favor e não precisa ficar resmungando. Eu hein…

A cidade tem uns espaços movimentados durante a noite também. Tem um bairro que só tem bares cheios de gente que querem encher a cara e esquecer que o mundo existe. Um deles eu acho que fica perto da universidade. Minha mina é de lá. Meio patricinha, mas gosta de se divertir do jeito que só um malandro consegue fazer, saca? Não? Qual foi? Só porque eu tô aqui não quer dizer que eu não tenho vida, tá ligado? Beleza, vou deixar essa passar, mas sem preconceito aqui porque eu conheço uma galera que pode… quer saber, cansei de tu! Bora dar um último passeio porque eu tô cansado de ficar ouvindo você resmungando, murmurando e tentando chamar atenção. Tu tem ideia de quanto vai ficar pra limpar o carro por causa do que você fez aí atrás? Na moral, eu tô de saco cheio e você tá indo pro destino que tu queria desde que entrou aqui.

Aqui é onde a diversão acontece. Nem os tira colam pra cá por causa daqueles caras, os que estão perto das motos e rodeado de garrafas vazias e bitucas de cigarro. Tu queria vir pra cá, mas tu tá arrumadinho demais pra alguém que… Ah, acho que saquei. Tu não faz parte do movimento dos caras e achou que ia ser de boa. Eu te desejaria sorte, mas acho que não tá merecendo não. Seguinte, acho que agora eu posso te explicar uma parada sobre o meu trabalho verdadeiro, já que nem eu e nem ninguém vai mais te ver.

Eu te disse que levo as pessoas de um lugar pro outro e que isso rende uma grana. Algumas pessoas são passageiros e outras são o que eu chamo de pacotes. Cada uma vale cinco pacotes e isso é uma grana extra que eu consigo fazer pra manter a vida em ordem. Eu não tenho nada contra você, mano. Só faço o que faço pra sobreviver e porque olhar pra essa cara de assustado fedendo a adrenalina é impagável. Isso vai render uma história pra eu contar pro pessoal do movimento e olha que divertido: você vai ser o protagonista dramático que chegou querendo tirar onda e acabou se dando bem mal por querer saber demais.

Tu quer saber porque é que ela, esta linda cidade, não dorme? É porque a gente aqui não deixa. Nós fazemos nossas regras por baixo dos panos e não tem nada, nem ninguém, que possa acabar com isso porque tem sido assim desde que o mundo é mundo. Acho bom tu ficar esperto e ligado nos seus momentos finais porque pode ser o começo de uma nova vida. O lado bom é que não vai precisar passar pela puberdade de novo e o ruim é que sua alimentação vai mudar radicalmente. Aquele ali é o Toni. Dá oi pra ele, cara! Se conseguir ficar amigo dele eu acho que tá sussa. Agora vou te tirar daqui. Anda logo e desce do carro, mané! Tua viagem tá começando, parceiro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑